segunda-feira, 19 de março de 2012

Fotografia ao luar

Fotografia de Adéla


A noite, um pequeno e fugaz momento de descanso acabara de se tornar num tão longo e desconcertante desassossego que nem a lua que espreita pela janela consegue acalmar.
As temperaturas estão baixas e por isso vou-me deixando ficar na cama, envolta nos quentes lençóis que há dias partilhávamos e que agora se tornaram demasiado nostálgicos. Talvez seja o sono a dominar-me, contudo noto neles o teu cheiro e quase que te consigo sentir a beijar-me antes de adormecer.
Será que aqui estás?
Acreditar que sim não sei se me descansa ou se me abala, mas gosto de pensar que estás comigo outra vez. Gosto de olhar em redor e ver aquelas nossas fotografias, ver o passado a devolver-te ao presente.
Secalhar em sonho, oiço-te dizer-me que o vento tudo leva e tudo traz e o meu coração estremece.
Sendo que tudo parece mais nebuloso após o ecoar do despertador, pois a tua almofada permanece ali a ocupar o lugar que é teu e não dela. Decido puxá-la até mim e juntá-la à minha, porém ao arredá-la vejo um envelope branco com belos contornos a prateado. Sentindo-me ainda mais confusa rapidamente o abro e encontro nele uma fotografia tua. Estás deitado ali mesmo ao meu lado envolto nos mesmos lençóis em que me encontro. Na parte detrás estão as palavras que antes de ir nunca me disseste: Distância não é ausência e proximidade nem sempre é presença, por isso e para que não notes que fui fico aqui contigo nesta fotografia ao luar.

13 comentários:

PauloSilva disse...

Que romântico este teu texto! *.*
Beijinhos *

Érika disse...

Pois é , tens toda a razão !
o teu texto está mesmo lindo o:

Pedacinhos de mim disse...

Foi uma agradável surpresa ler este teu texto tão cheio de sentimento em que o amor se torna actor principal de um amar, de um sentir. Um Beijo (Irei seguir-te) :)

Jun disse...

Eu também querida <3 obrigada!

Cecília Ferreira disse...

Onde há fotografia há presença sempre nem que seja na nossa lembrança.
Delicado o texto e com um final surpreendente. Belo.
Paz e morangos (;

Pérola disse...

O luar cúmplice de tantas promessas, de tantos toques, de tanto amor. Lindo!
P.S. Como posso seguir-te e saber quando 'postas'? Não tens a barra horizontal, no cimo da página para Seguir.

Isa E. disse...

Que texto lindo!
Foi possível sentir a inquietação que a ausência trouxe e até mesmo o frio da almofada sem o calor do outro... Parabéns! :)

ponto e virgula disse...

uhauuu...
a ausência é superada pelo quente dos lençois ainda mais sentido quando o cheiro e a foto do desejo estão a teu lado. temos assim o motivo para um "deixa-te ficar mais um pouco e saboreia essa presença na forma mais tentadora quando se fala de amor".

o amor é assim... um pequeno toque e o corpo cede (ao desejo).





a...té

Lia disse...

concordo. comecei a seguir :)

Aurora disse...

Magnifica escrita. Estou a seguir :)

sophie disse...

adoro :)

sophie disse...

são mesmo e ainda bem que achas :) e ora essa, nada a agradecer!

Fia disse...

que bonito :)

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...